Posts com tag “Israel

3ª Guerra Mundial:os tambores começam a soar

“Em algum momento entre 1985 e 2010, o seguinte cenário se desdobrará, dependendo apenas do conjunto correto de circunstâncias: As áreas islâmica e judaica em Jerusalém serão combinadas com a cristã para criar a Aliança da Nova Jerusalém.”
fonte: http://www.espada.eti.br/n1573.asp ( para a leitura completa da matéria)

A frase acima foi dita em novembro de 2001 pelo ocultista Bill Lambert numa conferência nos EUA. A fala deste ocultista não soou como predição, mas como um apontamento de quem estava a par dos planos da NOM para a internacionalização de Jerusalém e posterior deflagração da 3ª guerra mundial como criterio decisivo para a manifestação do anticristo.

À luz da informação acima, será que podemos afirmar que o que está ocorrendo em Israel nos últimos dias, em relação aos assentamentos judaicos na Jerusalém oriental, e que tem despertado a repulsa até mesmo do antigo aliado, os EUA, seria uma movimentação politica para desencadear os fatos acima citados, ou seja, a internacionalização de Jerusalém e a posterior deflagração da 3ªGuerra Mundial, que produzirá o anticristo?

Se considerarmos as palavras de Lambert como sendo fiéis a agenda dos proponentes da NOM a resposta para a pergunta acima é que sim, os acontecimentos atuais no oriente médio podem ter esta motivação. Contudo, nunca devemos perder de vista que a história está sujeita a vontade soberana de Deus, logo, qualquer que seja a intenção e os planos daqueles que, em tese, possuem a capacidade de manipularem os acontecimentos no cenário mundial seguindo uma agenda de intenções previamente delineada, tudo depende do fato de Deus permitir ou não que as coisas assim aconteçam.

Mas, de fato, parece-nos que Deus tem permitido que os “poderosos” desta terra se considerem como capazes de se autoconduzirem e conduzirem os outros, como aparentemente nos revela a história. Entretanto, esta permissão de Deus, longe de ser uma indulgência, é parte de seu plano de levar o mundo em direção ao cumprimento de sua palavra profética, como se percebe, por exemplo, em Apocalipse 17:17 : ” Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus”.

O versiculo acima nos mostra que Deus, como Senhor da história, da natureza e do tempo, tem o total controle de sua criação, e tudo indica que estamos caminhando para o desenrolar dos acontecimentos profeticos como é de sua vontade. Nesta perspectiva, percebemos que os atuais acontecimentos na cena internacional, especialmente os que se referem ao conflito no oriente médio, estão nos conduzindo a passos largos para a consumação da palavra profetica. Isto posto, a deflagração da 3ª guerra mundial, que acreditamos, precederá o anticristo, é iminente. E não é necessário ser nenhum expert em profecia bíblica ou em relações internacionais para perceber que o mundo está caminhando nesta direção.

Focando novamente em Lambert, as crescentes tensões no oriente médio poderiam significar aquilo que reza a agenda ocultista. Em que sentido? No sentido de, através da ameaça de uma iminente guerra sem precedentes entre Israel e os árabes, possivelmente o grupo que atualmente compoe o chamado quarteto fantástico, formado por EUA, Rússia, União Européia e a ONU, intervir decisivamente no conflito decretando a internacionalização de Jerusalém. Tal medida, posteriormente seria o cordel detonante da 3ª guerra mundial, de cuja fumaça e cinzas surgiria o anticristo, conforme explicitou o artigo supracitado. Agora, isto é mera conjetura, podendo até mesmo, a 3ª guerra mundial, iniciar-se sem que a dita internacionalização de Jerusalém tenha ocorrido, o que poderia vir a acontecer justamente após esta guerra.

De qualqer forma ambos cenários se mostram plausíveis e nos servem de alerta para aquilo que Jesus recomendou a seus discipulos e que nos serve por extensão : Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima.” Lc 21:28

Você está mentalmente e espiritualmente preparado para os dias difíceis que brevemente sobrevirão sobre toda a terra? Sente que há algo de errado com o mundo em que você vive? Há uma incomodação interior que aflige tua alma e não sabes o porquê ? Há uma resposta. Visite a Sala de Parto, e experimente o novo nascimento!!



As raízes espirituais do conflito Israel-Palestina

publicacao11

A ofensiva militar israelense contra a faixa de Gaza, reduto do grupo terrorista Hamas, entra na sua terceira semana com um saldo de mais de 900 mortos. A incursão do exército de Israel no território palestino visa a desarticular e neutralizar as ações do Hamas que em meados de dezembro abandonou o cessar-fogo mediado pelo Egito, em vigor desde junho de 2008, e desde então retomou o lançamento de foguetes contra o sul de Israel.

O conflito é mais um capítulo da conturbada questão envolvendo a criação do Estado Palestino que se originou após Israel conquistar sua independência em 1948.

onuA questão Israel-Palestina pode ser considerada, seguramente, a maior pendência da história moderna e a questão mais urgente na pauta de discussões das Nações Unidas. O impasse diz respeito não a uma mera questão de crise diplomática, mas ao direito de existência de dois povos que, como se sabe, em suas origens descendem de uma mesma linhagem étnica — ambos são semitas, descendentes de Abraão.

Segundo o relato bíblico, Isaque, filho de Abraão, foi pai de dois filhos, Jacó e Esaú. (Gn 25: 19-26) De Jacó veio a nação de Israel enquanto que, de Esaú, através de seu neto, Amaleque, veio os Edomeus ( Gn 36) dos quais descendem os atuais palestinos.

Se, como dissemos acima, a questão é de extrema dificuldade para aqueles que em tese, teriam a obrigação moral de resolvê-la, no caso as autoridades internacionais representadas pela ONU, o que dirá de nós “reles mortais”. Realmente, há uma enorme carga emocional envolvida e qualquer pronunciamento à respeito não pode ser feito de forma irresponsável, embora isto vem sendo feito por não poucos, que se julgam no direito de arbitrarem sem conhecimento de causa, na maioria das vezes, por influência da mídia tendenciosa e politicamente correta.

De fato, sabemos que a coisa é mais complexa do que geralmente se pensa e, por isto mesmo, preferimos não nos enveredarmos pelo viés político-sociológico da questão que, à nosso ver, é apenas fio condutor de algo maior que foge ao conhecimento da maioria das pessoas. A verdade é que a questão Israel-Palestina envolve uma questão espiritual — aquela que confirmará, definitivamente, a soberania de Deus sobre a criação pelo cumprimento da palavra profética por Ele anunciada. A compreensão desta realidade só é possível descortinando o pano de fundo da história humana, quando só então, se nos revelará a verdade dos fatos. Para tanto, é necessário nos reportarmos a Bíblia Sagrada em sua narrativa da gênese da criação.

querubim2Desde que o antigo querubim rebelde foi destituído de seu ofício, expulso das moradas celestes, (Cf. Ez 28: 14-19) exilado na dimensão dos ares, (Cf. Ef 6:12) e recebeu a imutável sentença condenatória no incidente do Éden, ( Cf. Gn 3:15) ele tem arquitetado suas estratégias na crença utópica de que conseguirá impedir o cumprimento da palavra profética que sobre ele pesa desde então; quanto a isto, falaremos após termos estabelecido os devidos papéis na trama que começou naquele lugar chamado Éden.

(Gênesis 3:15) – “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”

As metáforas ali empregadas representam na prática, todo o desenrolar da trama espiritual que definirá o destino do querubim, cuja trama tem tido, na história humana, não apenas seu veículo de condução, mas seu próprio palco de realizações. A serpente ali representando o querubim — Satanás — e a mulher e sua semente representando a nação de Israel e Jesus Cristo, respectivamente, é uma evidência que dispensa confirmação, bastando acrescentar apenas, que esta semente representa, também, todos os filhos de Israel. Logo, o que Deus está dizendo ali, é que Jesus, a semente da mulher, na plenitude dos tempos, viria à este mundo e triunfaria sobre todo o poder de Satanás, e destruiria o império da morte à que estavam sujeitos todos os homens pela desobediência de Adão. Esta vitória foi conquistada à cerca de 2000 anos quando na cruz do calvário — o calcanhar ferido da semente da mulher — Jesus exclamou: […] “Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito”. (João 19:30)

jesus3O que parecia derrota aos olhos do homem, e de Satanás, na verdade significou o triunfo de Jesus e o cumprimento da sentença do Éden, a prova desta vitória foi que ao terceiro dia Jesus ressuscitou: “E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.” ( Ap 1:18 )

Esta vitória de Jesus, se deu de forma total e completa no mundo espiritual, e suas implicações finais, no mundo natural, se dará por ocasião de sua segunda vinda à este mundo ao término da grande tribulação que assolará a terra, quando então, Satanás e sua semente serão banidos desta dimensão e precipitados, cada qual a sua maneira, para o destino à eles reservado. E é justamente por conta deste último evento, que satanás tem articulado sua estratégia para tentar frustrar a palavra profética.

odioDesde que a sentença foi dada no Éden, ele vem manipulando a história para se ver livre do veredito final. Sabendo ele que da nação de Israel sairia seu algoz — Jesus, o Messias, na sua encarnação e em sua segunda vinda — ele tem nutrido desde então um ódio implacável contra este povo e tentado, de todas as formas, exterminá-los da face da terra. A lógica satânica é a seguinte: se não houver um Israel histórico não haverá cumprimento da palavra profética.

Agora o leitor poderá entender o motivo pelo qual nenhuma nação foi tão perseguida ao longo de sua história como foi e tem sido a nação de Israel. A história é testemunha do ódio com que as nações tem tratado este povo durante toda sua existência. Eles foram massacrados, exilados, saqueados em vários momentos de sua história; eles sofreram nas mãos de egípcios, de babilônicos, de gregos, de romanos, de cruzados, de muçulmanos, de russos, de alemães, de árabes etc.; e, se ainda existem como um povo identificável, sou levado a fazer coro com Dave Hunt quando este afirma: “Israel é a maior prova da existência de Deus!”.

Entrementes, o querubim caído tem estado em guerra contra a semente da mulher em todas as suas gerações; e esta guerra atingirá seu clímax muito em breve, durante aquele período que a bíblia chama de […] tempo de angústia para Jacó […] (Cf. Jr 30: 7), que é o período em que todo o ódio de Satanás será derramado sobre a nação de Israel na intenção de exterminá-los definitivamente. Apocalipse 12 confirma de forma inequívoca esta verdade :

mulher-e-dragao(Apocalipse 12:1-5; 17)) – “E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher (Israel) vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas ( as 12 tribos de Israel ) sobre a sua cabeça. E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz.  E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho ( a antiga serpente), que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho (Jesus). E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono[…] E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente (o povo judeu e os que crerão em Jesus durante a grande tribulação) , os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.”

Que Satanás almeja a destruição de Israel desde o início dos tempos, e ainda tentará uma vez mais e de forma implacável e definitiva, é uma realidade que ficou bem estabelecida; agora, resta-nos descobrir, como ele intentará isto. A descoberta desta trama satânica nos levará, por conseguinte, ao verdadeiro entendimento acerca da questão Israel-Palestina. Para tanto, precisamos novamente nos reportar ao episódio do Éden.

eden1Geralmente, a identificação das figuras tipológicas de Gn 3: 15 se restringem apenas às figuras da serpente, da mulher e sua semente. Contudo, o que passa despercebido pra maioria das pessoas é que ainda resta uma metáfora pendente de explicação e que diz respeito à serpente, ou melhor, à sua semente e é parte fundamental na busca pelo correto entendimento acerca da totalidade da palavra profética ali proferida.

Vejamos, se a semente da mulher (Israel) representa Jesus e seus irmãos judeus, a semente da serpente (Satanás) deverá, obrigatoriamente, representar alguém e um grupo especifico de pessoas que estarão comprometidos, conscientes ou não, com os propósitos da serpente.

Conhecendo o que a bíblia diz sobre o caráter de Satanás, poderemos então identificar quem é, ou melhor, quem são seus descendentes:

lucifer“E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo”. (Is 14: 13-14)

Como se percebe, Satanás tem como causa de sua queda, o seu desejo de querer ser igual à Deus. Isto faz dele um imitador, ou seja, ele nutriu e nutre ainda o desejo maligno de receber glória e adoração como se fora um deus. Ele não tem em si o poder da vida, da criação, que é restrito à Deus, então ele imita. Esta imitação, porém, é sempre uma imitação profana das coisas e dos valores de Deus. Se Deus fala de paz, ele sussurra a guerra, se Deus fala de amor, ele incita o ódio, se Deus exorta à santidade, ele estimula o pecado. É por isto que o nome “satanás” significa adversário.

Tendo isto em mente, podemos afirmar que, sendo Satanás o imitador, a sua semente seria o equivalente satânico da semente da mulher — o anticristo e seus irmãos, ou seja, todos aqueles que estão comprometidos de alguma forma com a agenda satânica para o estabelecimento de seu pretenso reino.

Satanás tem preparado seu próprio cristo para ser o último líder humano de um governo uno mundial, que terá o pretenso objetivo de exterminar o povo judeu, anulando, assim, a possibilidade do cumprimento da palavra profética e garantindo o estabelecimento do reinado luciferiano entre os homens. Em II Tessalonicenses 2: 9 – 10, o apóstolo Paulo nos dá uma mostra do caráter e natureza deste instrumento de Satanás:

“A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.”

falso-messiasO Anticristo é parte de um engenhoso plano maligno de promover o engano mundial e, mais precisamente, do povo judeu fazendo-os acreditar que ele é o messias que havia de vir, pois, sabemos, os judeus não reconheceram a Jesus Cristo como seu messias e estão até hoje no aguardo de tal figura messiânica: Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis.”(João 5:43)

A aceitação por parte de Israel deste falso cristo, depende de que o cenário e as condições históricas estejam no ponto ideal para que ocorra tal aceitação. O judaísmo ortodoxo sabe que o messias virá para garantir a vitória dos exércitos de Israel de seus inimigos e estabelecer o tão sonhado reinado davídico, onde a nação gozará, enfim, de paz e prosperidade duradouras. Esta expectativa estava presente nas mentes dos contemporâneos de Jesus, por isto não o reconheceram como o messias aguardado.

iluminatiUm passo decisivo nesta conspiração satânica, se deu à partir dos últimos dois séculos e meio, quando Satanás começou a se utilizar de uma das mais poderosas forças de transformação cultural, política, social, econômica e religiosa da história — as sociedades secretas. Nos conciliábulos destas organizações, a quem costumamos chamar genericamente de os “Iluminados”, no topo de suas cadeias de comando, a doutrina e as estratégias luciferianas tem sido levadas adiante pelos co-irmãos da semente da serpente — o Anticristo — os quais manipulam os acontecimentos mundiais e preparam o ambiente para a manifestação deste filho da perdição.

Agora vem a surpresa que deixará muitos estarrecidos, a saber, tanto o lado israelense quanto o lado palestino foram e continuam sendo manipulados por esta elite mundial. Eles controlam tanto a liderança política de Israel quanto a liderança política do lado palestino. O objetivo é levá-los a guerra total em estrita observância a sua doutrina luciferiana de transformação através do caos, ou, da crise planejada. A idéia é fazer com que Israel, militarmente superior, venha a exterminar com o lado palestino. Com isto, Israel atrairá a ira das nações árabes as quais se unirão contra ele com o intuito de vingarem os palestinos e de eliminá-lo do Médio-Oriente.

images1Entretanto, ssim como foi nas guerras anteriores, como a da independência de Israel em 1948, na guerra dos seis dias em 1967 e na de 1973, ocorrida no feriado de Yom Kipur, onde em todas elas várias nações árabes se uniram contra Israel para destruí-lo e acabaram sendo derrotadas, neste próximo conflito com os árabes, novamente Israel prevalecerá, porém, desta feita, Israel não apenas derrotará os exércitos árabes como também aniquilará estas nações por completo. O resultado deste levante será a conflagração da terceira guerra mundial que trará o Anticristo na cena mundial e o estabelecimento da Nova Ordem Mundial.

É provável que pouco depois desta guerra ocorra a invasão de Israel pelos exércitos do Norte guiados pelas forças de Gogue (Rússia) juntamente com seus aliados conforme está profetizado em Ezequiel 38:1-9:

“Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; E te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada; Persas, etíopes, e os de Pute com eles, todos com escudo e capacete; Gômer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo. Prepara-te, e dispõe-te, tu e todas as multidões do teu povo que se reuniram a ti, e serve-lhes tu de guarda. Depois de muitos dias serás visitado. No fim dos anos virás à terra que se recuperou da espada, e que foi congregada dentre muitos povos, junto aos montes de Israel, que sempre se faziam desertos; mas aquela terra foi tirada dentre as nações, e todas elas habitarão seguramente. Então subirás, virás como uma tempestade, far-te-ás como uma nuvem para cobrir a terra, tu e todas as tuas tropas, e muitos povos contigo.”

Em um outro artigo[1] já demonstramos que Gogue diz respeito à moderna Rússia e revelamos quem serão os países que a acompanharão nesta invasão.

Este conflito se reveste de especial importância para os Iluminados, pois, será a grande oportunidade trabalhada e aguardada para a orquestração do engano que fará com que Israel aceite o Anticristo como seu messias aguardado. Esta janela de oportunidade para os Iluminati ocorrerá paradoxalmente pelo fato de Deus exterminar violentamente Gogue e seus exércitos sem que Israel precise lutar. Vejamos:

ira(Ezequiel 38:18- 23) – “Sucederá, porém, naquele dia, no dia em que vier Gogue contra a terra de Israel, diz o Senhor DEUS, que a minha indignação subirá à minha face. Porque disse no meu zelo, no fogo do meu furor, que, certamente, naquele dia haverá grande tremor sobre a terra de Israel; De tal modo que tremerão diante da minha face os peixes do mar, e as aves do céu, e os animais do campo, e todos os répteis que se arrastam sobre a terra, e todos os homens que estão sobre a face da terra; e os montes serão deitados abaixo, e os precipícios se desfarão, e todos os muros desabarão por terra. Porque chamarei contra ele a espada sobre todos os meus montes, diz o Senhor DEUS; a espada de cada um se voltará contra seu irmão. E contenderei com ele por meio da peste e do sangue; e uma chuva inundante, e grandes pedras de saraiva, fogo, e enxofre farei chover sobre ele, e sobre as suas tropas, e sobre os muitos povos que estiverem com ele. Assim eu me engrandecerei e me santificarei, e me darei a conhecer aos olhos de muitas nações; e saberão que eu sou o Senhor.”

Agora imaginemos o cenário: Israel se vê terrivelmente acuado pelas forças de Gogue e pressente que poderá ser finalmente destruído. Naquele momento de crise nacional, diante do inevitável, miraculosamente Israel vê seus inimigos serem exterminados de forma sobrenatural. Qual será o reflexo disto na consciência do povo israelense? Eles crerão que Deus os livrou do inimigo, e estarão certos nesta compreensão, pois, de fato, Deus é quem os livrará, porém, o problema surge, quando satanás enganará a liderança judaica fazendo-os acreditar que quem os livrou foi o falso messias. Vulneráveis que estarão, no aspecto emocional, por conta do grande livramento recebido de Deus, não terão o devido discernimento que lhes permita perceber a operação do erro e poderão assim, acreditar na mentira satânica apresentada, e receberão, para a desgraça deles, este impostor, o Anticristo. Tal impostor firmará com a nação de Israel uma aliança de sete anos, sendo que, na metade do período, após decorridos três anos e meio, ele revelará quem de fato é, e então, nas palavras do profeta Daniel : […] e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação[…]( Cf. Dn 9 : 27).

holocaustoEsta segunda metade do período, conhecida entre outros termos como “Grande tribulação”, significará uma perseguição implacável contra o povo judeu como jamais houve: “Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” (Mt 29: 9). Jesus nos diz em Mateus 24: 21 que naqueles dias […] haverá uma grande tribulação como nunca houve desde o princípio do mundo […]. Haverá então tamanha mortandade em Israel que […] se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias”. (Mt 24:22)

prisaoDiante deste quadro o querubim rebelde, a antiga serpente Satanás, julgará ter concretizado seu ambicioso plano de ter frustrado a palavra profética, contudo, seu fim se dará imediatamente, pelo retorno glorioso de Jesus Cristo ao fim do período de sete anos, durante a batalha do Armagedom( Cf. Ap 16:16), quando então, será desarticulado todo o sistema maligno de Satanás, culminando com seu aprisionamento e o de seus instrumentos humanos — a besta (Anticristo) e o falso profeta — os quais serão lançados vivos num lugar de tormento eterno. (Cf. Ap 19:20)

Este evento marcará o fim da Ordem Mundial satânica e inaugurará a Ordem Mundial do Leão da tribo de Judá — o reino milenar anunciado pelos antigos profetas.

Estas são, portanto, as razões por detrás dos conflitos que se relacionam com a nação de Israel ao longo de sua história e cremos, destarte, ser a razão pela qual a questão Israel-Palestina não ter chegado a um permanente acordo. Não queremos com esta abordagem, minimizar  a realidade sócio-política da questão, mesmo porque, como dissemos acima, o conflito espiritual se processa na realidade sensível, ou seja, na história humana e, ainda, cada lado do conflito irá responder diante de Deus de acordo com seus atos. Sabemos ser difícil para a mente natural do homem moderno aceitar esta “meta-história”, mas, negá-la, não mudará o fato de que ela está se cumprindo diante de nossos olhos. Basta ouvir o testemunho da história, para se perceber que a mesma não se construiu de forma acidental, ao contrário, há um sentido, um norte que tem direcionado os eventos para uma determinada direção. O contexto mundial atual denuncia que, talvez, mais breve do que pensamos, não precisaremos mais convencer ninguém desta realidade, pois os acontecimentos falarão por si mesmos, afinal, como teorizou Berthold Brecht : “A verdade é filha do tempo e não da autoridade”.

[1]Supremacia americana:Um mito?


ah40


Você está mentalmente e espiritualmente preparado para os dias difíceis que brevemente sobrevirão sobre toda a terra? Sente que há algo de errado com o mundo em que você vive? Há uma incomodação interior que aflige tua alma e não sabes o porquê ? Há uma resposta. Visite a SALA DE PARTO e, experimente o novo nascimento!!




Supremacia americana: um mito?

pedrogrande_360
CARACAS (Reuters) – Uma frota de navios de guerra russos chegou à Venezuela na terça-feira para fazer exercícios navais em conjunto com o país caribenho, disse o presidente Hugo Chávez. Os exercícios, que estão sendo acompanhados com atenção pelos Estados Unidos, coincidem com a visita do presidente russo, Dmitry Medvedev, que chega à Venezuela na quarta-feira.
A visita faz parte de um tour pela América do Sul que inclui o Brasil, onde ele está agora, e Cuba. Medvedev veio à América Latina no momento em que a queda do preço do petróleo está preocupando os países produtores de energia, como a Rússia e a Venezuela.
O governo norte-americano disse não considerar importante a visita de Medvedev à Venezuela. Sean McCormack, porta-voz do Departamento de Estado, zombou da visita, perguntando se os navios seriam “acompanhados de rebocadores”.
Para ele, não há dúvidas quanto a quem tem o poder militar e econômico na região. “Vamos acompanhar (a visita) com atenção, mas não acho que alguns navios russos no Caribe, com os venezuelanos, vá levantar a sobrancelha de alguém”.[1]
O excerto de notícia acima, veiculada dias atrás, me chamou a atenção por dois motivos, os quais considero intrinsecamente relacionados: um alinhamento beligerante, na órbita da Rússia, de países contrários a política internacional norte-americana, e a arrogante e irresponsável declaração do porta-voz do Departamento de Estado, Sean McComrmack, ao menosprezar o poderio bélico russo.
O primeiro não nos incomodaria tanto, se não tivéssemos cientes e convictos, de que há uma grande e real possibilidade de haver um conflito militar sem precedentes num futuro próximo, que poderá significar a destituição dos EUA da liderança política-militar mundial, e o consequente solapamento da democracia mundial, pelo recrudecimento da influência socialista. Sabemos que isto pode soar um absurdo pra maioria das pessoas, afinal, por longos anos fomos condicionados – pela mídia e pela propaganda holliwoodiana – a acreditar que os EUA é força imbatível e, principalmente, á partir da desintegração da antiga URSS, achou-se que o poderio norte-americano estaria soberanamente estabelecido; nenhum engodo poderia ser maior. Enquanto a América se deleitava nesta ilusão, a Rússia veladamente articulava suas estratégias e amadurecia seu projeto militar – seguramente, o mais poderoso do mundo – , o armamento escalar, capaz de  lhe conferir larga vantagem em qualquer conflito militar em que vier a ingressar-se. Ao tomarmos conhecimento do poderio de destruição do armamento escalar russo, compreenderemos o porquê de considerarmos irresponsáveis as palavras de McComrmack. Antes, porém, a propósito de justificação de nosso posicionamento, não como verdade objetiva senão como reforço do argumento, mostraremos, com base em dois ângulos distintos, o porquê de acreditarmos que a aniquilação dos EUA, literal ou, enquanto potência mundial, é uma possibilidade a ser considerada.
1º- O argumento profético
(Ezequiel 38:1-9) – “Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; E te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada; Persas, etíopes, e os de Pute com eles, todos com escudo e capacete; Gômer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo. Prepara-te, e dispõe-te, tu e todas as multidões do teu povo que se reuniram a ti, e serve-lhes tu de guarda. Depois de muitos dias serás visitado. No fim dos anos virás à terra que se recuperou da espada, e que foi congregada dentre muitos povos, junto aos montes de Israel, que sempre se faziam desertos; mas aquela terra foi tirada dentre as nações, e todas elas habitarão seguramente. Então subirás, virás como uma tempestade, far-te-ás como uma nuvem para cobrir a terra, tu e todas as tuas tropas, e muitos povos contigo.”
europe
A profecia acima, datada de cerca de 2.600 anos atrás, revela que nos últimos dias uma coalizão de países liderados pela Rússia viria do Norte e invadiria Israel.
Conceituados escatologistas e exegetas não unânimes em afirmar que a referência a Gogue e Magogue acima diz respeito a moderna Rússia:
“O termo ‘Gogue’ acima é traduzido a partir da frase hebraica ‘nesi rosh’. Embora ‘rosh’ possa ser um adjetivo com o significado de ‘cabeça’, ou líder, pode também significar o nome próprio de um local, ‘Rosh’. “O léxico hebraico de Brown, Driver e Briggs indica que Rosh aqui é o nome próprio de um povo… a Rússia atual.”
“Tubal e Meseque foram o quinto e o sexto filhos de Jafé, e seus descendentes se fixaram ao sul do Mar Negro… o nome Moscou deriva do nome tribal Meseque, e Tobolsk, o nome do estado principal, vem de Tubal. (The Coming Peace in the Middle East, de Tim LaHaye, Zondervan Publishing House, Grand Rapids, MI, pg 29-30)
Ao analisarmos a profecia, chama-nos a atenção, o fato de a Rússia, ao intentar contra Israel, não  sofrer resistência da parte de nenhum país. Este dado chamou a atenção de estudiosos no assunto, considerando eles que, Israel, sempre contou com o apoio e a proteção dos EUA. Especulou-se então, que o motivo da não resistência norte-americana ao ataque a Israel, conforme se observa na profecia, se devesse a duas possibilidades: os EUA estariam aquela altura condescendentes com o ataque ou, o mais provável, não estarão em condições de oferecer resistência, seja por estarem enfraquecidos econômica-militarmente ou, até mesmo, destruídos numa guerra anterior. Se isto puder ser levado em conta, o que não descartamos, então temos um argumento que corrobora a possibilidade aventada acima em relação ao futuro dos EUA.
2º- A conspiração ocultista
O termo Nova Ordem Mundial, mormente, remete a idéia de processo sócio-político-econômico no âmbito das relações internacionais. É uma leitura correta, porém, não se esgota aqui seu total significado.
Para escatologistas, teóricos de conspiração, ocultistas e esotéricos de matizes diversas etc. o termo se refere a algo de significado muito mais abrangente. No caso específico dos ocultistas e esotéricos, a Nova Ordem Mundial significa uma ruptura, no caso, com a antiga ordem fundamentada nos valores da tradição judaico-cristã. Busca-se uma “nova era”, um tipo de “iluminismo esotérico”, onde a civilização mundial irá transcender da atual ordem para uma nova existência, sendo que, tal transição, se dará de forma dramática, pela remoção de todo obstáculo que se fizer necessário, seja humano, cultural, político, religioso etc. quando então, o mundo se verá enfim, diante de uma realidade totalmente nova, caracterizada pela centralização do poder mundial, sob a égide de uma figura messiânica, atuando sob um governo global totalitário ” benevolente”.
novos-ordum
Antes de alguém julgar os ideais ocultistas como mera utopia de um bando de desajustados, é bom considerarmos o fato de que a totalidade da elite global está associada a uma sociedade secreta, ou são adeptos de algum tipo de ocultismo. Tais pessoas são políticos bem sucedidos, empresários, banqueiros internacionais, chefes de Estado, membros da nobreza européia etc. e trabalham diligentemente, cada qual em sua esfera de influência, para a implantação da Nova Ordem.
Sendo assim, considerando o nível de influência que tais pessoas estão revestidas, ficamos a pensar sobre até que ponto elas são capazes de interferir nos acontecimentos mundiais em prol dos seus objetivos. As citações abaixo são reveladoras e, ao mesmo tempo, estarrecedoras, pois revelam qual é a expectativa dos ocultistas em relação a nação americana para o futuro imediatamente anterior a implantação da Nova Ordem Mundial.
“No fim dos anos 1700, os espíritos-guia dos principais líderes Iluministas começaram a lhes dizer que o continente norte-americano, mais tarde chamado de Estados Unidos da América, seria estabelecido como uma nova Atlântida, uma terra de liberdades incomparáveis política, espiritual e economicamente. No entanto, esses espíritos-guia advertiram que essa nova Atlântida não seria o reino final; em vez disso, seria o passo intermediário para a Nova Atlântida final e aperfeiçoada. No momento certo na história mundial, essa nova Atlântida, seria destruída para que o sistema final chamado de Nova Ordem Mundial, sob a liderança do Cristo [anticristo], possa ser estabelecida.” [3]
“Os ocultistas sempre viram os EUA como uma ave Fênix. Após liderar o mundo na passagem para a Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, o plano deles é que os EUA se auto-imolem, queimem em chamas e sejam reduzidos à cinzas. No entanto, a partir da pilha de cinzas outra ave Fênix ressurgirá, desta vez o Reino Global do Anticristo[…]A autora Elizabeth fenix3van Buren, especialista em Nova Ordem Mundial, afirma muito bem esse conceito – embora misture as metáforas – quando diz: “Chegamos a um tempo em que muitos norte-americanos, como um novo cidadão da Atlântida, está recebendo a chamada: ‘Saia! o tempo está curto! Construa sua Arca e coloque nela como semente para a época futura tudo o que é digno da Nova Ordem Mundial! Leve consigo o sonho da Fraternidade Entre os Homens, pois foi seu país que tomou os primeiros passos para promover esse ideal. Nada é perdido e nenhuma coisa boa pode perecer na Terra. Somente ocorrem mudanças. Não tenha medo, pois das cinzas da Nova Atlântida surgirá em muitas partes do mundo um povo que terá consciência da sua unidade com a Atlântida e com a América. Eles ajudarão a criar uma democracia de estados sob um único governo, que dominará o mundo todo … O plano da Fraternidade Branca avança!” [The Secret of the Illuminati, van Buren, pg 150]
Destarte, o exposto acima, por mais fantasioso que possa parecer, não é para ser desprezado como tal, afinal, a experiência nos mostra que muitos fatos históricos se construíram à partir de forças conspiratórias. Adolf Hitler, por exemplo, crendo firmemente ser um predestinado, se julgou no direito de exterminar um povo – judeus – e conquistar o mundo.
Finalmente, tendo já vislumbrado estas perspectivas subjetivas, estamos agora em condições de falarmos sobre o temível armamento escalar, uma ameaça objetiva e real que os americanos não deveriam menosprezar, ao contrário, deveriam levá-la a sério, e serem mais ponderados em seus pronunciamentos em relação ao adversário.
O armamento escalar
Abaixo transcreveremos excertos de um artigo de David Bay sobre a natureza do armamento escalar e suas aplicações:
“O armamento escalar são ondas eletromagnéticas emitidas por meio de antenas de rádio construídas de uma forma especial. Embora os EUA tenham construído antenas HAARP quase uma década atrás, essa tecnologia é evidentemente inferior à tecnologia russa e pode representar um gigantesco esforço para “alcançar” o armamento russo. Veja o que diz o coronel Beardon:
“Já há algum tempo, a Rússia e vários outros países possuem armas altamente avançadas ‘eletromagnética-estendida’ (energética) de um tipo totalmente novo, usando uma teoria da eletrodinâmica grandemente aprimorada… A maioria dessas armas energéticas é mais avançada do que aquilo que anteriormente foi conhecido pelas comunidades militares, de inteligência e científicas dos EUA… Um grande fator de contribuição que retardou os EUA é que os fundamentos imprecisos da teoria de Maxwell, de 1865, não foram alterados pela comunidade científica ocidental.”
haarp
“Com os EUA substancialmente atrasados nessas ‘novas’ superarmas estratégicas, um novo Projeto Manhattan parece ser aconselhável e garantido… Um sério desenvolvimento que ocorreu anteriormente neste ano (2002) foi o emprego pela China das armas de potencial quântico (QP) e as armas de pulso de energia eletromagnética negativa (EMP) — um tipo que originalmente chamávamos de MindSnapper para disfarçar sua verdadeira natureza. As armas de potencial quântico são as armas dominantes no mundo atualmente, seguidas de perto pelo armamento de energia eletromagnética negativa… Não podemos ter certeza de quantos países já têm o armamento de energia EMP negativa, mas são pelo menos cinco… Os EUA ainda estão bem atrasados…” [Fer De Lance, pg 4-5]
Essa informação é surpreendente, e confirma a desesperada advertência do coronel Byron Weeks, feita em 5 de outubro de 2002. “A América queimará no fogo”, ele diz, porque não tem os armamentos mais poderosos do mundo; não tem os armamentos para suportar as bravatas do presidente Bush, do Secretário de Defesa Rumsfeld e do Subsecretário da Defesa Wolfowitz.
Na verdade, desde 1985, quando a Rússia começou a testar seus novos armamentos, seus cientistas e militares fizeram vários testes contra aviões e mísseis, e observaram atentamente as reações americanas. O coronel Beardon disse: “Novamente, a reação dos britânicos — e dos EUA também — foi conforme prevista. Novamente, mostramos que não sabíamos nada a respeito do armamento escalar eletromagnético, e que não reconhecíamos um quando encontrávamos seus efeitos.” [Fer De Lance, pg 271][4]
Depreende-se do conteúdo acima que, se de fato, as coisas são como foram apresentadas, os EUA estão diante de um divisor de águas, diante do momento mais crítico de sua História. Crítico não apenas pelo que conhecemos do armamento escalar, mas pelo contexto geral que a nação está experimentando. Soma-se a ameaça russa, a ameaça terrorista, que dizem, segundo uma suposta matéria veiculada na internet, trazendo a declaração do terceiro homem em comando da organização Al Qaeda, Mohammed Al-Asuquf, possuir em solo americano sete ogivas nucleares posicionadas em locais estratégicos esperando o momento certo para serem detonadas. Soma-se  ainda, a grave crise econômica pela qual atravessa a nação, deixando-a vulnerável e incapaz de financiar futuramente sua máquina de guerra, impedindo-a, assim, de manter, como sempre fez, vários pontos de combate em regiões diferentes, o que seria fatal, caso, por exemplo, a Coréia do Norte venha a atacar a Coréia do Sul, a China invada Taiwan e o Irã em conjunto aos países árabes empreendam ataque contra Israel., tudo isto, num mesmo período.
Definitivamente, o EUA parece não mais reunir as condições necessárias para se sustentar como o grande doutrinador mundial.
Entrementes, por tudo que foi falado até aqui, a remoção dos EUA de seu status quo, é seguramente, a maior aposta dos próximos anos, a não ser que, Deus, em sua eterna e soberana vontade, não permita.
Para encerrarmos, sabemos que muita gente torceu e torce pela desventura dos  norte-americanos, porém, mesmo sabendo dos graves pecados desta nação, seja notório a todos que a História é testemunha fiel em mostrar, que o imperialismo comunista matou mais pessoas do que todas as guerras juntas e, caso não saibam, a queda dos EUA, seguirá também, a queda da democracia em favor de um totalitarismo mundial, o que será infinitamente pior e, quando isto acontecer, muitos sentirão saudades dos tempos do Tio Sam.
Deus salve a América!!
[1] http://www.abril.com.br/noticias/m. shtml
[2] http://www.redrival.com/mensagematual/centrogoveua.htm
[3] http://www.espada.eti.br/ce1076.asp
[4] http://www.espada.eti.br/n1776.asp

Você está mentalmente e espiritualmente preparado para os dias difíceis que brevemente sobrevirão sobre toda a terra? Sente que há algo de errado com o mundo em que você vive? Há uma incomodação interior que aflige tua alma e não sabes o porquê ? Há uma resposta. Visite a SALA DE PARTO e, experimente o novo nascimento!!